skip to Main Content

Especialistas orientam que a forma mais segura de comemorar Natal e Réveillon é apenas com as pessoas da casa.

O ano de 2020 tem sido, sem dúvida, um ano de desafios, de superações, de reinvenção. Um ano em que precisamos aprender que o maior gesto de cuidado é, muitas vezes, ficar distante de pessoas queridas para protegê-las do contágio do coronavírus. Neste período de festas, especialistas alertam para o risco maior de contaminação e orientam que a forma mais segura é manter as comemorações apenas entre as pessoas do núcleo familiar, ou seja, apenas com os que vivem na mesma casa.

Os números crescentes de contágio e óbitos confirmam as precauções orientadas pelos especialistas. O Brasil voltou a uma curva crescente de casos e, segundo o Ministério da Saúde, já estamos no patamar dos 42 mil novos casos de contaminação e dos 900 óbitos por dia. Desde o início da pandemia já são mais de 182 mil mortos por complicações relacionadas ao coronavírus. Na Bahia, o número de novos casos está na casa do 4 mil por dia e os óbitos chegam a 20 diariamente. Desde o início da pandemia já são mais de 8 mil mortos por complicações relacionadas ao coronavírus.

Para nos proteger e proteger quem amamos, mais uma vez precisaremos nos reinventar e mudar a forma como tradicionalmente comemoramos as festas de final de anos. As reuniões presenciais devem ser restritas. Para agregar toda a família e amigos, o ideal é usar a tecnologia e fazer reuniões virtuais. (veja no final da matéria indicações de aplicativos gratuitos).

Mas, se apesar dos riscos, decidir fazer reuniões presenciais, é preciso muita atenção aos protocolos de segurança para minimizar as possibilidades de contágio. Algumas dicas dos especialistas:

  • Todos devem estar e permanecer de máscara de maneira correta o maior tempo possível, só retirando a proteção para comer e beber;
  • Os abraços, beijos e trocas de carinho ainda precisam ser evitados;
  • Não existe um número mágico de pessoas que podem se reunir de forma segura. Portanto, é lenda a informação que corre pelo WhatsApp de que até 10 pessoas podem se reunir sem riscos;
  • O número de pessoas é determinado pelo tamanho do ambiente, permitindo um distanciamento de 2 metros um do outro;
  • Atente também para a disposição de alimentos e bebidas para que os convidados não se aglomerem na hora de se servirem;
  • Não compartilhe objetos de uso pessoal como talheres, copos e garrafas. Dê preferência por descartáveis ou marque-os;
  • Prefira ambiente abertos e arejados: Se mora em casa, prefira reunir-se na área externa. No caso de apartamentos, deixar todas as janelas abertas;
  • Peça para todos os convidados respeitarem as normas de segurança e, caso apresentem algum sintoma gripal ou tiverem contato com alguém que testou positivo ou teve sintomas da Covid-19, que não compareçam;
  • Anime a festa sem cantoria: ao cantar a pessoa aumenta o risco de disseminação de partículas;
  • Convidados de longe: Prefira encontros virtuais: a exposição de viajantes em aeroportos, aviões, ônibus e locais de parada aumentam os riscos de contaminação.

Pessoas dos grupos de risco como idosos, portadores de doenças crônicas, obesidade e pessoas em tratamento com imunossupressores devem ser ainda mais protegidos.

  • Se você tem no seu núcleo familiar pessoas nessas condições, não reúna ninguém de fora do núcleo familiar;
  • Se você está nessas condições, não vá a reuniões.

As reuniões virtuais podem ser muito divertidas e aproximar todos os que amamos de forma segura. Existem diversos aplicativos que permitem reuniões com muitas pessoas. Eles são simples e podem ser acessados pelo celular ou computador. Os mais populares são:

Todos podem ser baixados gratuitamente

Reinventar a forma como vamos comemorar as festas do final de 2020 é a forma mais segura de entrarmos em 2021 com saúde e prontos para um ano novo que ainda trará desafios, mas também com muita esperança de que as vacinas que estão em fase final de desenvolvimento cheguem logo a todos.

Back To Top