skip to Main Content
Cinco Gastos ‘invisíveis’ Que Não Podem Passar Despercebidos Na Pandemia
Entre as ‘armadilhas’ estão os gastos com delivery, compras por impulso, o ‘truque’ do frete, ofertas de supermercado e as taxas bancárias
Aquele gasto a mais no delivery, uma promoção que parecia imperdível em uma loja virtual, ou até mesmo uma taxa cobrada por um serviço bancário, seja pela manutenção da conta ou o custo para prorrogar o pagamento de uma parcela do financiamento. Estes são só alguns gastos que, muitas vezes não entram no orçamento, mas surpreendem na hora de fechar as contas do mês. O mesmo vale também para alguma oferta de supermercado de um item que não estava na lista, mas o consumidor acabou levando ou o valor do frete de uma compra pelo site.

Quando a conta chega, vem o susto. E as armadilhas são muitas e as pegadinhas também. O impacto, porém é grande, assim como o risco de se perder nestas despesas que passam despercebidas. Por isso, junto com especialistas em finanças pessoais o CORREIO montou algumas dicas para alertar o consumidor quanto a estes gastos, que por mais ‘invisíveis’ que pareçam, comprometem (e muito), o equilíbrio das contas (confira abaixo).

“Aquisições com valores baixos costumam se misturar com os médios e altos jogando todo o seu orçamento por ladeira abaixo. Uma compra de almoço no delivery, um lanche diferente para os filhos e o aumento compulsivo pelos produtos da geladeira, por exemplo, leva o consumidor a cair em verdadeiras armadilhas neste momento de pandemia. Uma lista de primeiras necessidades é de extrema importância para se chegar ao que realmente é necessário e quanto o consumidor tem disponível para gastar”, alerta o economista e professor do UniRuy, Elisandro Lima.

Ele chama atenção ainda para a ilusão do limite do cartão de crédito. “Pense sempre que o economizado pode ser uma excelente oportunidade para adquirir algo que satisfaça o seu prazer ou banque a sua emergência. Experimente pegar todos os itens que pode economizar e multiplique por 12 (um ano) e imagine o que você poderá comprar no Natal. Vale a pena fazer este exercício”, recomenda.

Para a consultora e educadora financeira, Kamila Santos, antes de tomar qualquer decisão financeira faça uma previsão que considere a sua receita futura. “A nossa relação com dinheiro diz muito sobre nós. Não precisa tomar uma decisão drástica de excluir os aplicativos de entrega do celular, mas, defina um limite mensal para gastar com isso”.

E dá para fugir das outras armadilhas: “Faça uma revisão no valor da anuidade com a operadora do cartão de crédito, existem casos de redução de 25% a 100%. Outra possibilidade é verificar trocar a operadora do cartão, hoje já existem muitas opções que não cobram anuidade. Quanto as compras por impulso e ofertas tentadoras, a dica lembrar o impacto que aquilo terá nas suas contas nos próximos mês ou até meses”.

Alerta
Outra pegadinha muito comum nesse momento onde o comércio de bens não-essenciais está fechado e acabou migrando em massa para o e-commerce, por conta da pandemia, está no valor do frete. As promoções existem. Mas o consumidor precisa conferir até onde vai essa vantagem, como aconselha a educadora financeira da fintech Bom pra Crédito, Larissa Civita.

“Devido a esse momento, por conta da pandemia, os fretes aumentaram significativamente, e no ato da compra é importante analisar este valor, para evitar custos adicionais elevados e acabar comprometendo os descontos que conseguiu com o produto”.

Seja qual for a despesa que tente passar despercebida, na hora de montar o plano de ação contra os gastos invisíveis, é preciso disciplina. Quem recomenda é o analista-chefe da Toro Investimentos, Rafael Panonko.

“Por um lado, as pessoas estão conseguindo economizar em algumas coisas, mas outros gastos aumentaram. Portanto, o primeiro passo é readequar o seu orçamento para a atual realidade e posteriormente fazer alguma previsão de gastos com os novos hábitos”, acrescenta o especialista.

DICA DA SEMANA: ESCAPE DOS GASTOS INVISÍVEIS

Delivery Uma pizza hoje, um jantar diferente amanhã, uma comida para sair da rotina do fim de semana e aí, a frequência dos números de pedidos na semana vai vir de uma vez só e sem parcelamento. O isolamento social pede um cuidado redobrado com esta despesa. Estabeleça um limite de gasto com serviço por mês e mantenha a disciplina em não ultrapassar esta meta.

Compras por impulso Com o bombardeio de anúncios, de levar o carrinho até o fim da jornada na loja online é grande. Aqui vai valer sempre repensar a sua relação com o dinheiro e lembrar das contas que já estão previstas no seu orçamento. Pense e repense, a necessidade de adquirir esse produto agora e o impacto desta compra na sua receita.

Anuidade do cartão de crédito e outras taxas bancárias Vale revisar todas as taxas que costuma pagar mensalmente. Com certeza, esse consumidor vai se assustar com o custo de tudo isso em um ano. Renegocie junto às instituições financeiras ou busque outras, que estão com condições melhores, inclusive de isenção destas taxas. Faça uma boa pesquisa. Reveja também os custos de manutenção e serviços da sua conta no banco.

Ofertas de supermercado Com o peso que esta despesa ganhou nesse momento de isolamento social, o consumidor chega no supermercado com o radar ligado para qualquer promoção que passe pela frente. Porém, é aí que mora o risco. Não adianta levar três para pagar duas unidades de um produto em que o consumo é de uma embalagem só. Ou comprar, só porque a etiqueta vermelha indica que ali há um desconto. Lista na mão, sempre.

Valor do frete Quem não vem recebendo milhões de ofertas em todos os canais possíveis na internet, levante a mão. Sim, e as ofertas são mesmo tentadoras, porém podem esconder ali um frete que invalida o desconto. Que vantagem existe em comprar um produto com 50% do valor reduzido, mas que o preço do frete chega próximo de quanto ele custa? Ligue o alerta.


Correio

Back To Top